ofplogo.gif (4994 bytes)   


SEVERINO PRESTES FILHO: UM GRANDE MAGNETIZADOR

 

                Como disse na biografia de meu pai e mestre,  cuja primeira edição foi lançada em novembro de 2004, já esgotada, SEVERINO DE FREITAS PRESTES FILHO nasceu em 1º de fevereiro de 1890, portanto, quase vinte e um anos depois da desencarnação de Allan Kardec. Após  fazer os cursos primário e ginasial (ou de humanidades) no Colégio de jesuítas de São Leopoldo / RS, para atender a vontade do pai, que, antes de falecer, em 1896, deixou escrito que  o queria  Oficial do Exército e Engenheiro Militar, matriculou-se no Curso Preparatório da Escola Militar do Realengo, no Rio de Janeiro,   em princípios de 1905, sendo, nesse mesmo ano, transferido para a Escola de Guerra de Porto Alegre, onde, em 1907, ingressou no Curso Superior de Formação de Oficiais. Anos mais tarde, já Oficial, fez o Curso de Engenharia Militar.

Foi, quando ainda cadete, que, nas aulas de História e de Física e em conversa com vários professores e alunos adeptos da teoria de Carl Frans Mesmer, veio a saber o que era o magnetismo, o sonambulismo, o hipnotismo. Demonstrou então grande interesse por esse tema, interesse que, por certo,  já trazia no subconsciente, como dizem os psicanalistas, mas que, na verdade, estava  armazenado no seu Perispírito, fruto de uma vida passada. Dedicou-se então a ler e estudar profundamente os livros que tratam, cientificamente, desse relevante assunto. Ao mesmo tempo, passou a freqüentar a Associação de Magnetizadores de Porto Alegre, onde pôde se aperfeiçoar  na prática do Mesmerismo. 

                Assim, quando, em 2 de abril de 1910, nascia em Pedro Leopoldo / RS, o famoso médium mineiro Francisco Cândido Xavier, o Chico, meu pai, Severino de Freitas Prestes Filho, que completava o último ano do Curso Superior de Formação de Oficiais, já estava cansado de fazer experiências de magnetismo, sonambulismo e hipnotismo. Sim, já era um grande magnetizador. E praticava essa ciência não só com seus colegas de turma, como também com familiares e amigos, que se ofereciam, voluntariamente, para servirem de “sujets” ou instrumentos. Usando então o poder do Hipnotismo, realizou experiências notáveis. E se sentia muito à vontade, alegre e feliz, recorrendo ao Magnetismo, que, como se sabe “preparou o caminho do Espiritismo”, como disse Kardec, “pois, dos fenômenos magnéticos, do sonambulismo e do êxtase às manifestações espíritas, há apenas um passo; sua conexão é tal que, por assim dizer, é impossível falar de um sem falar do outro”.  (R.E. março/1862 – Lançamento EDICEL, pág. 96). Todavia, de Espiritismo o cadete Prestes Filho então nada sabia,  pois, como seus professores e colegas de escola, era um fervoroso adepto do Positivismo, criado por Augusto Comte. Freqüentava, inclusive, o Templo Positivista de Porto Alegre. 

 Em 1920, como Primeiro Tenente, Severino Prestes Filho, servia no Quartel General da 4ª Região Militar, em Juiz de Fora / MG, pois fôra nomeado Ajudante de Ordens do General Setembrino de Carvalho, o Pacificador do Contestado.

Foi então que, “casualmente”, conheceu a  jovem Heloísa Vilela de Carvalho, filha de seu Comandante e Chefe, pela qual ficou logo apaixonado. E foi correspondido. Amor à primeira vista, como se costuma dizer.

Tendo ela aceito o seu pedido de casamento,   a cerimônia nupcialal realizou-se no dia 13 de setembro de 1922. No dia seguinte, os recém casados voltaram para Juiz de Fora, onde Severino Prestes Filho, já como   Capitão,, assumiu o cargo  de  Chefe de Obras do Serviço de Engenharia da Região.        

O primeiro filho do casal, Fernando Severino, nasceu em São João Del Rey / MG, em 18 de outubro de 1923, mas, no ano seguinte, próximo de completar seu primeiro aniversário, caiu gravemente enfermo, ficando desenganado pelos melhores médicos da cidade.

Foi então que se deu a intervenção divina, como está narrado com detalhes na biografia de Severino de Freitas Prestes Filho ...

E o menino salvou-se, graças a Deus!...

Foi este fato que acarretou a conversão de Prestes Filho ao Espiritismo. Outros se deram depois.

Vindo certa vez ao Rio de Janeiro, foi procurar um médium famoso, o sr. Porfírio, que, sem que ele fizesse qualquer pergunta, foi logo dizendo: “- Em sua jovem esposa encontrará o instrumento de que precisa para o cumprimento de sua missão. Use o sonambulismo”. Outros médiuns que procurou, atendendo a pedido de sua mãe, dona Júlia, disseram a mesma coisa e deram o mesmo conselho.

Por sua vez, seu irmão mais velho, Antonio Pereira Prestes, que era dado a estudo e prática de Ocultismo, com as letras do seu nome, conseguiu armar o seguinte diagrama: “Só Heloísa te serve, Preste”.

 Perguntou então à esposa se consentia em se submeter a uma experiência de sonambulismo. A resposta imediata foi “sim”. Aplicados então os primeiros passes magnéticos, Heloísa caiu logo em estado de transe. E foi por seu intermédio, que se manifestou o luminoso Espírito de Erasto, Discípulo de Paulo, Apóstolo dos gentios e Guia Espiritual de Allan Kardec. Foi ele que fez a revelação da verdadeira  identidade de Severino Prestes Filho e da missão que teria de realizar no século vinte. Ao mesmo tempo, preveniu-o de que teria que passar por muitas e grandes provações até o final da vida, quando deveria escrever sua autobiografia. E garantiu-lhe que teria sempre seus Amigos  Invisíveis a seu lado.

Seguindo à risca tudo que disse seu “Guia bem amado”, a partir de meados de 1960, já com setenta anos de idade, Severino Prestes Filho dedicou todo o seu tempo a escrever suas “Memórias”, obra que teria de deixar inédita, para ser lançada ao público somente no futuro. Seria uma nova “Obra Póstuma”.

Aguardem, pois, sua publicação.

Como disse Allan Kardec muito bem: “Tudo vem a seu tempo”.