ofplogo.gif (4994 bytes)   


SEVERINO DE FREITAS PRESTES FILHO,
MEU PAI, MEU MESTRE,  -  BRILHANTE OFICIAL
DO EXÉRCITO  BRASILEIRO

                Para cumprir uma nova missão na Terra, conforme anunciou o Espírito de Verdade, Allan Kardec teve de vestir de novo a farda de militar. E, como tenho certeza absoluta de que meu pai foi sua reencarnação, como disse em nosso boletim de outubro, vou transcrever, resumidamente, como transcorreu sua vida de brilhante Oficial do Exército Brasileiro.

                Como disse em sua biografia, que escrevi e publiquei em novembro de 2004, foi ao concluir seu curso ginasial, no Colégio dos jesuítas prussianos de São Leopoldo/RS, que ele veio a tomar conhecimento de uma carta - testamento deixada por seu genitor (meu avô) antes de morrer, em  setembro de 1896. Nesse documento ficou bem claro que sua vontade era que seu  segundo filho, Severino, fosse Engenheiro Militar.

                Assim, foi em respeito à memória póstuma do pai, Dr. Severino, que meu pai, em fins de 1905, assentou praça no 38º Batalhão de Infantaria, sediado em Niterói, com destino à Escola Preparatória de Cadetes do Realengo, Rio de Janeiro, sendo transferido depois para a Escola de Guerra de Porto Alegre, onde fez o Curso Superior, saindo, em 1911, Aspirante a Oficial. Alguns anos mais tarde, em 1916, ingressou na Escola Politécnica do Realengo, onde, dois anos depois, recebeu o grau de Bacharel em Matemática e Ciências Físicas e o título de Engenheiro Militar.

                Foi como 1º Tenente do Corpo de Engenheiros do Exército Brasileiro, que meu pai serviu com o General Fernando Setembrino de Carvalho, herói da Campanha do Contestado, junto ao qual passou a exercer o cargo de Ajudante de Ordens e Assistente da 4ª Região Militar, sediada em Juiz de Fora/MG. E foi justamente aí que ele veio a conhecer a bela Heloísa, Filha do General  Setembrino, por quem se apaixonou e com quem veio a casar-se em 13 de setembro de 1922, vindo a tornar-se pai de dez filhos, dos quais eu sou o terceiro.

                Após o casamento, meu pai poderia continuar, no Rio de Janeiro, servindo com meu avô, General Setembrino, que, em novembro de 1922, havia assumido o cargo de Ministro da Guerra do Presidente Arthur Bernardes. Mas preferiu voltar com a jovem esposa para Juiz de Fora/MG, onde, promovido ao posto de Capitão da Arma de Engenharia, assumiu a importante função de Chefe de Obras do Serviço de Engenharia do Exército.

                Como estava sendo construído um hospital militar em São João Del Rey, meu pai aí morou  durante dois anos. E foi aí que nasceu seu filho primogênito, Fernando Severino, que, antes de completar um ano de vida, caiu vítima de uma doença grave, sendo desenganado pelos médicos. Graças, porém, à intervenção providencial de um médico espírita, também militar, meu irmão foi salvo da morte. Foi este fato que fez com que meu pai, que era positivista, se convertesse ao Espiritismo, vindo, através da mediunidade de minha mãe, a conhecer o luminoso Espírito de Erasto, que se tornou  seu “Guia bem amado”. Foi em homenagem a esse Espírito de escol, que fez a revelação de sua missão na Terra, conforme anunciara o Espirito de Verdade, que  fui registrado com seu nome  (Erasto), ao nascer em abril de 1926...

                Bem!, quem quiser saber mais detalhes sobre a missão que o verdadeiro Allan Kardec reencarnado, no séc. XX, meu pai, desempenhou, aguarde a segunda edição do livro biográfico de minha autoria, lançado em novembro de 2004, em homenagem ao bicentenário do Codificador. Será melhorada e ampliada com novas fotos e novos documentos importantes.