ofplogo.gif (4994 bytes)   


ASSIM FALOU ALLAN KARDEC

" Seja por entusiasmo, seja por fascínio dos Espíritos, seja por amor próprio, em geral o médium psicógrafo é levado a crer que os Espíritos que se comunicam com ele são superiores; e isto acontece tanto mais quanto mais os Espíritos, vendo sua propensão, não deixam de se ornar com títulos pomposos, conforme a necessidade, e, segundo as circunstâncias tomam nomes de santos, de sábios, de anjos, da própria Virgem Maria, e fazem o seu papel como atores, vestindo ridiculamente a roupagem das pessoas que representam. Tirai-lhes a máscara e se tornam o que eram: ridículos. É isto o que se deve saber fazer, tanto com os Espíritos quanto com os homens" (Revista Espírita, outubro de 1858).

OBSERVAÇÃO: A médium Emillie Colignon, que psicografou as mensagens contidas em "Os Quatro Evangelhos", que J.B. Roustaing transformou num livro, acreditou que vinham de Espíritos Superiores. O próprio Roustaing também acreditou nisto, já que esses Espíritos "superiores", apresentando-se com a máscara da hipocrisia, deram a essa obra o título pomposo de "Revelação da Revelação" e tomaram nomes célebres: Mateus, Marcos, Lucas e João, os quatro Evangelistas e Moisés, que deu ao mundo a primeira grande revelação.

Allan Kardec, o único e verdadeiro missionário da Terceira revelação, nos manda que arranquemos as máscaras desses espíritos mistificadores.

É o que não nos cansamos de fazer, desde que lemos essa obra apócrifa. Estamos assim seguindo o exemplo de confrades ilustres, encarnados e desencarnados.

DISSE MAIS ALLAN KARDEC

"A intromissão dos Espíritos enganadores nas comunicações escritas é uma das maiores dificuldades do Espiritismo. Sabe-se, por experiência, que eles não têm nenhum escrúpulo em tomar nomes supostos e até mesmo nomes respeitáveis". E pergunta: " - Há meios de os afastarmos?" (Revista Espírita, setembro/1859)

Kardec responde a esta indagação, apresentando quatorze itens por meio dos quais podemos identificar os "principais caracteres que denotam a origem das comunicações espíritas". Chega até a fazer um estudo comparativo entre os bons Espíritos, que são sérios e verdadeiros e os maus Espíritos, que são falsos, mentirosos, mistificadores, hipócritas.

Vejamos então o que Kardec nos diz em relação aos maus Espíritos:

" Os maus Espíritos falam de tudo com segurança, sem se importarem com a verdade. Toda heresia científica notória, todo princípio que choca a razão e o bom senso revela fraude, desde que o Espírito se apresente como um esclarecido.

"Se uma comunicação contiver uma mistura de bom e de mau, será de um Espírito comum, se ele se apresentar como é; ou será de um Espirito impostor, se se apresentar com um nome que não pode justificar.

"Os maus Espíritos fazem elogios exagerados, estimulam o orgulho e a vaidade, mesmo quando pregam a humildade; procuram exaltar a importância pessoal daqueles a quem querem enganar.

"Deve-se desconfiar daqueles que se apresentam com muita facilidade com nomes extremamente venerados e não aceitar suas palavras senão com as maiores reservas. Nesses casos, principalmente, é indispensável um severo controle, porque em geral é uma máscara que adotam para nos fazer crer em supostas relações íntimas com Espíritos de grande elevação. Por esse meio, lisonjeiam a vaidade, que exploram, a fim de induzir com freqüência a atitudes lamentáveis ou ridículas". (obra citada)

NOSSO COMENTÁRIO

Quem, depois de estudar as obras da Codificação, leu "Os Quatro Evangelhos" de J. B. Roustaing, com espírito crítico e olhos de observador, próprios de um verdadeiro cientista, pode perceber claramente, todos os absurdos contidos nessa obra ridícula, que foi lançada ao público em meados de 1866. E quem não leu, deve ler, para, terminada a leitura, ter condições de separar o joio do trigo. E sobretudo para ter a certeza de que não se pode encará-la como complementar às da codificação kardecista, como querem os dirigentes da F.E.B.

E, para que não pensem que há exagero de nossa parte, vamos iniciar hoje um estudo comparativo entre o que disse Kardec e o que nos transmitiu Roustaing.

<<< Voltar