ofplogo.gif (4994 bytes)   


BICENTENÁRIO DE J. B. ROUSTAING

 Informa-nos “O Cristão Espírita”, instrumento divulgador da Casa Beneficente Bezerra de Menezes, que foi realizado, nos  dias 18 e 19 de junho de 2005 o I Congresso Roustaing, comemorativo dos 200 anos de nascimento do Dr. Jean Baptista Roustaing.

Esse evento foi promovido pelo Grupo Espírita Regeneração e contou com a presença de todos os dirigentes da Federação Espírita Brasileira (FEB), bem como com representantes de todas as Federativas nacionais que integram o Conselho Federativo Nacional da FEB. Fiéis e leais ao “mito” da unificação, defendido pelo “Pacto Áureo”, muitos “kardecistas” estiveram presentes, valorizando assim esse encontro.

Pelo que chegou ao nosso conhecimento, duas foram as decisões mais importantes tomadas nesse Congresso: 1ª) Os congressistas  referendaram a afirmação de Ismael Gomes Braga que disse: “O roustainguismo é um curso superior de espiritismo”, conforme consta do seu livro “Elos Doutrinários”, publicado pela FEB; 2ª) A obra de Roustaing é mesmo complementar às de Allan Kardec, como consta do parágrafo primeiro do art. 1º do Estatuto da FEB, por isso mesmo considerado “cláusula pétrea”, ou seja: irremovível.

Nesse encontro, foi também prestada pelos presentes uma homenagem póstuma à Sra. Emilie Collignon, a única médium de “Os Quatro Evangelhos”. Na ocasião, usaram da palavra os escritores: Jorge Damas Martins, Júlio Damasceno, Ariston Sant’Anna Teles e Luciano dos Anjos, que foram muito aplaudidos pelos “kardecistas” presentes, e, principalmente, pelos roustainguistas da FEB.

                Soubemos que, no segundo dia desse Congresso, foi realizado um auto-de-fé, em que o livro “A Gênese” de Allan Kardec foi queimado em praça pública, sob os aplausos dos presentes.

NOSSO COMENTÁRIO:

     É assim que anda o movimento espírita nacional!

     Devo informar que, apesar de termos sido convidado, por telefonema, pela Comissão Coordenadora, fizemos questão de não comparecer, agindo, portanto, coerente com o que temos dito e escrito. Quem disser que me viu lá, estará mentindo.