ofplogo.gif (4994 bytes)   


QUEM FOI CHARLES DARWIN

 

            Charles Robert Darwin foi um cientista inglês, natural de Shrewsbury, onde nasceu no dia 12 de fevereiro de 1809. Era o quinto filho de Robert Darwin, um médico bem-sucedido e muito respeitado, casado com Susannah, filha de uma grande família de fabricantes de cerâmica.

            Seus pais queriam-no médico, e, quando ele completou 16 anos de idade, chegaram a matriculá-lo na Universidade de Edimburgo. Mas não era esta a vocação do grande homem.

            Em 1830 um dos seus professores, John Henslow levou-o em expedições de botânica, recebeu-o várias vezes em sua casa, onde ficavam horas e horas conversando e insistiu em que lesse os livros do famoso explorador e naturalista alemão Alexander Von Humboldt.

            No ano seguinte saiu com outro professor, o geólogo Adam Sedgwick para uma caminhada pelo País de Gales, estudando as formações rochosas e procurando fósseis.

            Ao regressar, encontrou em casa duas cartas, uma de seu amigo, professor John Henslow, outra, de George Peacock, um cientista de Cambridge. Sugeriam ambos que Darwin fizesse uma viagem ao redor do mundo, a serviço do governo britânico que queria fazer um levantamento da costa sul-americana e de algumas ilhas do Pacífico. O navio explorador era o HMS Beagle.

            É claro que Darwin aceitou, alegremente, o convite. Seguiu então para Londres, onde, em 5 de setembro, foi entrevistado pelo comandante do navio explorador, o Capitão Robert Fitz Roy.

Feitos os preparativos para a viagem, o navio partiu em 27 de novembro de 1831, navegando pelo Oceano Atlântico. Darwin tinha 22 anos apenas e só regressou de viagem cinco anos depois.

O percurso foi longo. Chegando ao Brasil, desembarcou em Salvador/BA, passou pelo Rio de Janeiro, transpôs a fronteira até chegar a Buenos Aires, na Argentina. Atingiu depois a Terra do Fogo e o Cabo Horn.

Em todos os portos por onde passava, Darwin desembarcava e ficava em terra por algum tempo, para realizar seu trabalho de observação e de coleta de espécimes.

Foi precisamente no dia 15 de setembro de 1835 que o navio Beagle, com Darwin a bordo, chegou ao Arquipélago de Galápagos ou das tartarugas gigantes. Foi aí que Darwin fez suas principais observações e coletas de espécimes.

Regressando à sua Pátria, em outubro de 1836, Darwin veio a casar-se com sua prima-irmã, Emma Wedgood, no dia 29 de janeiro de 1839, quando publicou seu “Diário de Pesquisas”, relatando como foi sua viagem no Beagle.

Em 1842 mudou-se com a esposa para a pequena cidade de Downe, a sudeste da Inglaterra.

A idéia da evolução das espécies, defendida por Darwin, não era nova, pois já seu avô, Erasmus Darwin, famoso médico e pensador alemão, a defendia. Na França de princípios do século dezenove o naturalista Lamarck também a aceitava e divulgava. Da mesma forma o economista inglês Tomas Malthus, autor do “Ensaio sobre o Princípio da População”, livro que Darwin leu em 1838.

Foi depois de muito observar, de muito pesquisar a vida animal na Terra que Charles Darwin pôde escrever seu famoso livro “Origem das Espécies pelo Processo da Seleção Natural”, que publicou em Londres em 24 de novembro de 1859.

O livro teve grande aceitação da parte do público intelectual da época, apesar dos ataques feitos pelo bispo de Oxford, Samuel Wilberforce. Um dos que muito o aplaudiram foi o famoso biólogo Henry Huxley que, numa reunião realizada na Associação Britânica para o progresso da Ciência em 1860, fez um discurso, explicando ao público presente o significado científico da Teoria de Darwin. E conseguiu convencer a platéia e os jornalistas presentes.

Charles Darwin morreu em Down, em 19 de abril de 1882 com 72 anos de idade, sendo seu corpo enterrado na abadia de Westminster, em Londres. 

            Portanto, para os cientistas, não foi nenhum “criptógamo carnudo” que deu origem à espécie humana, como afirmou Roustaing, e sim um animal da família dos macacos, semelhante ao homem, identificado, cientificamente como “antropóide superior”.

           Allan Kardec, além de professor emérito,  era também um cientista.