ofplogo.gif (4994 bytes)CHICO XAVIER NÃO É ALLAN KARDEC REENCARNADO


Foi o que declarou, com muita propriedade, a educadora Dora Incontri, como se pode ler no jornal espírita "Abertura", Santos/SP, edição julho/2003, pág. 5. Vejamos então alguns trechos do que ela disse:

"Que Chico Xavier seja a reencarnação de Kardec não seria uma hipótese a ser discutida, porque se trata de um absurdo tão sem fundamento que deveria chocar o bom senso de qualquer um. Mas, já que se trata de uma afirmação na pena de alguns escritores e médiuns atuantes no movimento (à frente Marlene Nobre) não podemos deixar de analisá-la".

E prossegue: "Poderia escrever muitas páginas com todos os pontos de total dissemelhança entre a personalidade de Kardec e a de Chico..." E, depois de um arrazoado de argumentos fortes e poderosos, ela diz: "É preciso reconhecer a superioridade de Kardec, coisa que tanto Emmanuel, quanto Chico, sempre reconheceram. Certo dia, disse Emmanuel a Chico - e esta é uma passagem conhecida de todos - que, se ele Emmanuel, deixasse Jesus ou Kardec, o pupilo deveria deixá-lo. Ora, o guia de Chico se submetia a Kardec, como é então que Kardec poderia ser seu tutelado?"...

- E aqui abro um parêntesis, para dizer o seguinte: Chico Xavier não fez o que seu guia mandou que fizesse, quando este, no livro "O Consolador" se mostrou contrário à evocação dos Espíritos, ao declarar, enfaticamente: - Não somos dos que aconselham a evocação em hipótese nenhuma", coisa que Kardec nunca disse, muito pelo contrário (O Livro dos Médiuns, cap. XXV). Diante desse pronunciamento, Chico preferiu ficar com Emmanuel, e chegou mesmo ao absurdo de declarar que "o telefone só toca de lá (do Além) para cá (mundo espírita na Terra)". E nunca protestou contra a declaração do ex-jesuíta. - Fecha parêntesis.

Prosseguindo, vale a pena destacar o último item do pronunciamento da profa. Dora Incontri, em que ela nos mostra "o que está por trás dessa idéia" maluca de que Chico foi a reencarnação do Mestre lionês. Diz ela: "Tudo isso poderia não passar de uma discussão vazia, simples questão de opinião, sem maiores conseqüências. Mas, vejo graves problemas nessa polêmica e só por isso meti-me a falar no assunto. Afirmar que Chico é a reencarnação de Kardec é submeter Kardec ao Chico... Logicamente, pela lei da evolução, o mais recente é o mais evoluído, e, portanto, vai mais adiante do que o anterior ". E, à pergunta "O que se esconde por trás dessa idéia subliminar, implícita na tese de um ser a reencarnação do outro?" Ela mesma responde: " É que abandonamos, ou pelo menos, desvalorizamos, os critérios de racionalidade, de objetividade, de cientificidade, além dos aspectos pedagógicos e da linguagem clara e democrática de Kardec, com todo seu pensamento de vanguarda - para valorizarmos mais a linguagem melíflua (muitas vezes piegas) de Chico, o espiritismo visto predominantemente como religião e os aspectos conservadores tanto do pensamento do médium quando de Emmanuel.

A tese de que Chico seria a reencarnação de Kardec desqualifica Kardec e exalta indevidamente o Chico, colocando-o num pedestal de idolatria que nenhum ser humano deve ocupar. E isto está bem situado nos rumos que o movimento espírita brasileiro tem tomado: trata-se de um movimento que exalta personalidades mediúnicas (...) preferindo o emocionalismo à racionalidade, o igrejismo ao debate filosófico e científico.

"É verdade que Emmanuel continuou sua obra de primeiro educador do Brasil, e fez bem a sua parte, por intermédio do Chico, que também fez a sua. Mas, não é por isso que devemos colocar os carros na frente dos bois e perder a raiz pedagógica, racional e consistente que nos identifica. E essa raiz é representada por Kardec, que, por todas as razões vistas e por muitas outras que não é possível comentar aqui, não reencarnou como Chico, não reencarnou ainda, porque teríamos de reconhecê-lo por sua mente poderosa, por sua liderança equilibrada e segura e por trazer uma contribuição muito melhor que a de Chico e mesmo melhor que a do próprio Kardec, pois, senão, não haveria razão para reencarnar-se."


NOSSO COMENTÁRIO

Muito bem, professora Dora, sua argumentação está excelente. Entretanto, gostaria de acrescentar duas considerações importantes. Primeiro, essa exaltação indevida à pessoa do Chico, há muito tempo já existe aqui na chamada, erradamente, Pátria do Evangelho, e vem desde o tempo em que foi canonizado santo do espiritismo, para o qual, aliás, foi construído no cemitério de Uberaba/MG, onde jaz seu corpo, um mausoléu majestoso como o dos cardeais romanos do Vaticano. Além disso, pode-se afirmar, sem medo de errar, que, além da cristolatria e da mariolatria, que, por força do roustainguismo, há muito tomaram conta do mundo espírita, hoje em dia, já existe também a "chicolatria" .

Veja-se, por exemplo, o grande painel montado atrás da mesa que presidiu o Congresso de Médicos-espíritas em São Paulo/SP (MEDINESP), em que a figura do Chico se destaca, com muita imponência, juntamente com a de Allan Kardec, Emmanuel e Bezerra de Menezes. (Ver "O Clarim" de Matão, edição de maio/julho de 2003).

Quanto à sua declaração de que "Kardec não reencarnou ainda", tem que convir que é a sua opinião pessoal, contrária à daqueles que afirmam que já se adiou a volta do Mestre lionês, ou dos que dizem que ele foi fulano, ciclano, ou beltrano. Tudo não passa de hipóteses, suposições, que precisam ser comprovadas à luz da Ciência Espírita. E o único meio que encontro para isto é lançarmos mão da evocação dos Espíritos Superiores e do próprio Allan Kardec, para que venham nos dizer com quem está a razão, ou seja: qual é a verdade de tudo isso que se vem afirmando com tanta convicção. Mas isso, Emmanuel não aconselhou, e o Chico ficou do lado dele, ao invés de fazer o que o próprio Kardec sempre fez e achava melhor. Sim, a evocação é uma necessidade, hoje mais do que nunca!

<<< Voltar