ofplogo.gif (4994 bytes)


"OMISSÃO DOS ESPÍRITAS"

Em seu magnífico livro "CONSCIENTIZAÇÃO ESPÍRITA", nosso saudoso confrade Gélio Lacerda da Silva disse esta verdade: "No movimento espírita brasileiro, é tendência dominante mantê-lo tranqüilo, qual água de um lago, parada, sem ondulações... esquecidos os espíritas de que a água estagnada, quase sempre se deteriora. Enquanto a água boa para saciar a sede é aquela que se agita, na correnteza dos rios.

"O espírita, doutrinado pela literatura mediúnica, é um conformado, no sentido de quem espera da Providência Divina a solução dos problemas dos mais variados tipos..." e, depois de tecer considerações de ordem política e social, Gélio acrescenta: "A omissão dos espíritas mais se avulta na sua passividade ante a situação vexatória do movimento espírita brasileiro, tão dinâmico nos Estados, mas que, a níveis nacional e internacional quem dá as cartas é a Federação Espírita Brasileira com seu pseudo-espiritismo roustainguista".

Muito bem, querido Gélio. Vale aqui, para reforçar o que você disse com tanta propriedade, repetir o que escreveu o Prof. Herculano Pires em seu livro "O Roustainguismo à luz dos textos", publicado em 1973:: "A propaganda da obra mistificadora de Roustaing continua e ela vai semeando o seu joio na seara. O silêncio estabelecido pelo ‘Pacto Áureo’ deu resultados negativos, pois toda uma geração espírita se formou nesse período e agora está sendo colhida de surpresa pela ‘novidade’ do roustainguismo. (...) Por tudo isso é necessário que os espíritas sinceros não se calem". (obra citada, pág. 6).

Sim, companheiros, nada de omissão. Esta é a palavra de ordem.

<<< Voltar