ofplogo.gif (4994 bytes)   


CASAS  ESPÍRITAS  SÃO TOMADAS POR

PRÁTICAS MISTIFICADORAS E RITUALISTICAS

      É o que nos informa o jornal “O PENSADOR”, de João Pessoa/PB, dirigido por Carlos Antônio de Barros Silva, transcrevendo a opinião de Carmem Paiva, que disse, entre outras coisas, o seguinte:

      “Esses problemas se arrastam por anos a fio, sem que as Federativas Estaduais tomem qualquer providência para solucioná-los.

       “Tudo isso tem relação com o movimento espírita brasileiro que está eivado de pessoas que ainda não se desvincularam da Igreja e querem, a todo custo, transformar a Doutrina dos Espíritos em mais uma seita bíblica.

        “Na maioria das Casas espíritas do Nordeste se vê de tudo em termos de práticas absurdas em nome do Espiritismo. Os dirigentes, quando não participam diretamente dessas fantasias, permitem que elas aconteçam. E, geralmente, são os médiuns ditos de cura que introduzem as mais estranhas formas de aplicar passes, de fazer desobsessão e até mesmo cirurgias de corte ou fluídicas.

        “Soubemos que uma pessoa acabou se afastando de uma instituição espírita da cidade, porque começou a observar uma série de desatinos doutrinários e mediúnicos, ensinados como verdades pelo médium de cura, que tem poderes de orientador espiritual da casa.

        “Esse médium de cura, inclusive, instituiu a obrigatoriedade de um passe denominado de “fogo” para queimar os miasmas espirituais de pessoas obsidiadas.

        “Foi ainda esse médium que quase provocou o desencarne de uma moça que o procurou para extrair um cisto (ou quisto) do seio esquerdo por meio de uma operação espiritual de corte, desconhecendo, obviamente, que esse tipo de cirurgia dentro da Casa Espírita não é permitido, e, se for praticada, caracteriza prática ilegal da Medicina, ou seja, charlatanismo.

       “A Federação Espírita Paraibana sabe de todas essas ocorrências negativas dentro do movimento, que ela afirma estar bem orientado e unificado segundo a codificação kardequeana. Mas, certamente, não está essa maravilha que a FEPB canta e decanta em seus eventos.

      “Esses fatos indicam que o maior inimigo do Espiritismo não é outro senão aquele dirigente ou médium de cura que pretenda descaracterizá-lo, promovendo reuniões cheias de mistificações e práticas ritualístas que depõem contra a Doutrina dos Espíritos.

      “Esses espíritas só faltam instituírem igrejas como templo em lugar das Casas Espíritas, numa clara demonstração  de que nada assimilaram acerca da ética e dos critérios doutrinários prescritos por Allan Kardec..

     “Vamos estudar, gente!”

NOSSO COMENTÁRIO

      Concordo, plenamente com você, prezada irmã Carmem. De fato, o movimento espírita tomou um rumo muito diferente daquele apontado pelo Codificador, o Mestre Allan Kardec. Que pena!...