ofplogo.gif (4994 bytes)   


“A LÓGICA NÃO ME PERMITE ACEITAR ROUSTAING”

 

            Foi o que declarou o Dr. Carlos de Brito Imbassahy, grande escritor, jornalista e expositor parapsicólogo, em entrevista concedida ao jornal “Abertura”, de Santos, pág. 4, edição de agosto de 1993, portanto, há quinze anos atrás.

            Nessa mesma entrevista, ele explica um dos motivos pelos quais o Dr. Carlos Imbassahy, seu genitor, que, durante muitos anos colaborou bastante com a Diretoria da FEB e com a equipe de redação do “Reformador”, foi expulso da “Casa Mater” do Espiritismo no Brasil pelo então Presidente da FEB, Wantuil de Freitas.  É que Carlos Imbassahy (pai) não era roustainguista, conforme denúncia feita por Ismael Gomes Braga, o que o Dr. Carlos Imbassahy (filho) confirma nessa entrevista.

            Foi, portanto, a posição anti-roustainguista do Dr. Carlos Imbassahy (pai) que serviu de pretexto para que seu nome não fosse incluído na obra “Grandes Espíritas do Brasil”, de autoria de Zêus Wantuil, filho de Wantuil de Freitas, ex-presidente da FEB.

Luciano dos Anjos, em seu trabalho de pesquisa, incluiu o Dr. Carlos Imbassahy (pai) na relação dos adeptos de Roustaing.

(Ver “OS ADEPTOS DE ROUSTAING” de Luciano dos Anjos, págs. 62 e 63 – 1ª edição AEEV – Ano de 1993).

Entretanto, isto foi veementemente contestado pelo Dr. Carlos Imbassahy (filho) e pelo escritor Nazareno Tourinho, de Belém / PA.