ofplogo.gif (4994 bytes)   


A CONTRA-PROPOSTA DE  HERCULANO PIRES

 

                Em seu artigo, Herculano Pires escreveu: “1 – O Espiritismo é uma doutrina evolucionista, como provam as suas obras fundamentais e o seu imenso desenvolvimento em apenas cem anos de existência; 2 – O sistema conceptual espírita é completo e sua síntese está em ‘O Livro dos Espíritos’ de Allan Kardec; 3 – A Filosofia espírita não pode abranger o Todo e, muito menos, “todos os momentos da lei de Deus”, porque isso não está ao alcance de nenhuma elaboração mental, no plano relativo da vida terrena; 4 -  A teologia espírita é limitada às possibilidades atuais do conhecimento de Deus, segundo ensina Allan Kardec, e essas possibilidades não admitem ainda a criação na Terra de uma teologia-científica, nem dentro, nem fora do Espiritismo; 5 – O nível Allan Kardec não é o do Espiritismo, mas, sim, o nível do Espírito de Verdade, de quem Kardec, segundo dizia, foi um simples secretário”.

            Assim o grande Herculano, “Apóstolo de Kardec” deu um golpe de mestre no médium pedante que veio de Gúbio (Itália), região do antigo território pontifício, para se impor perante a intelectualidade brasileira, inclusive a de médiuns conceituados como o Chico Xavier, que psicografou mensagem de Emmanuel (Espírito do padre Nóbrega), considerando “A Grande Síntese”, obra que foi traduzida por Guillon Ribeiro e publicada pela FEB, como o “Evangelho da Ciência”. No entanto, Ubaldi não só não era espírita, e disso se vangloriava, como sempre se recusou a integrar-se ao movimento espírita.