ofplogo.gif (4994 bytes)   


CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

 

                Recebemos do confrade Elmo de Lima, de Goiânia / GO, a seguinte carta, datada de 14 de junho: “Caro Erasto, muito obrigado por me mandar, regularmente O Franco Paladino. Continue com o seu excelente trabalho. Seria possível que você me enviasse uma cópia xerox do nº 63? Sucesso no seu trabalho informativo, cultural e de utilidade pública.

            Do leitor e admirador,

                                                   Elmo”

NOSSA RESPOSTA

                 “Prezado amigo e confrade Elmo, quero que saiba que sua cartinha me trouxe muita alegria.

                Segue, em anexo, uma cópia do meu boletim nº 63, edição de setembro de 2008, que me pediu e no qual mostro como Allan Kardec via, falava e escrevia sobre Os Quatro Evangelhos de J. B. Roustaing.

                Na pág. 5 desse meu Boletim, falo sobre Santo Erasto, que se converteu ao Cristianismo primitivo, ao ouvir Paulo de Tarso; tornou-se Bispo de Philipos e foi perseguido, preso e sacrificado por ordem do Imperador romano, no dia 26 de julho do ano 70 da Era Cristã,  o que estou repetindo agora.

                Falo também do outro Erasto, que se converteu ao ouvir Paulo falar e o acompanhou depois em suas viagens de propaganda da Boa Nova que é o Evangelho de Jesus, o Homem de Nazaré. Séculos mais tarde, apareceu em Espírito ao Sr. Allan Kardec, através da mediunidade do Sr. d’Ambel e foi seu Guia Espiritual. Fazia questão de se identificar como “Discípulo de Paulo”.

                Digo ainda, na pág. 7, que foi esse luminoso Espírito que se apresentou ao meu querido e saudoso pai, Severino de Freitas Prestes Filho, e lhe revelou quem ele tinha sido no séc. XIX e precisava reencarnar no séc. XX, para observar de perto o Espiritismo e o mediunismo que se praticavam aqui na, erradamente, chamada “Pátria do Evangelho”. Sim, erradamente, porque, o Evangelho de Jesus nasceu no Oriente, ou seja, na Palestina e não aqui no Brasil, batizado pelos sacerdotes católicos como Terra de Santa Cruz.

E, frisou bem o Espírito de Erasto:  todas as suas observações terão que ser registradas em suas “Memórias”. Estas só deverão aparecer ao público, quando o movimento espírita brasileiro  deixar de ser dominado pelos jesuítas do padre Manoel da Nóbrega (Emmanuel).

Sim, quem nos dá a comprovação de que o médium de Pedro Leopoldo e Uberaba, era um CAROLA de marca maior é Suely Caldas Schubert, em cujo livro “Testemunhos de Chico Xavier”, lançado pela FEB em 1998, nos dá um exemplo, ao citar um trecho de uma carta que dirigiu ao seu amigo Wantuil de Freitas, dizendo, entre outras coisas, o seguinte: “(...) Formulo votos para que tenhas vencido, valorosamente, todas as ameaças de desarmonia que pairavam sobre o nosso campo de ideal e de luta (...) Louvado seja Deus!” (Fonte: Revista “Fidelidade Espírita”, uma publicação do Centro de Estudos Espíritas “Nosso Lar”, de Campinas / SP, pág. 4).

É verdade, foi isto mesmo que deixou escrito o Chico, --  “LOUVADO SEJA DEUS!” -- ao dirigir-se por carta ao seu querido amigo, roustainguista,  Wantuil de Freitas.