ofplogo.gif (4994 bytes)   


E POR FALAR EM CHICO XAVIER

     Como foi sua iniciação no Espiritismo? É ele mesmo quem nos conta:

     “Logo após os meus primeiros contatos com o Espiritismo, voltei à Igreja de Pedro Leopoldo, e, ajoelhado no confessionário, diante do sacerdote, contei-lhe tudo e pedi sua bênção.

     “O padre Sebastião Scarzelli, fazendo o sinal da cruz, declarou-me: - Eu te abençôo, meu filho, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Que a Virgem Maria, a Mãe Santíssima o acompanhe e ampare sempre...”

     E como foi a iniciação de Allan Kardec no Espiritismo? É ele mesmo quem nos conta:

     “Foi em 1854, que, pela primeira vez, ouvi falar das mesas girantes. Quem me deu essa notícia foi o magnetizador, Sr. Fortier, meu amigo, com quem me encontrei duas vezes, sendo que, na segunda, ele foi mais categórico: “- Temos uma coisa muito mais extraordinária: não só se  consegue que uma mesa se mova, magnetizando-a, como também que fale. Sim, interrogada, ela responde”

      “- Isto agora é outra questão, respondi. Só acreditarei, quando vir este fato e quando me provarem que uma mesa tem cérebro para pensar, nervos para sentir, e, além disso, possa tornar-se sonâmbula. Até lá, permita que eu não veja no caso mais do que um conto para fazer-nos dormir em pé (...)

     “Depois, o Sr. Carlotti (outro amigo meu), contou-me coisas surpreendentes. Longe de me convencer, aumentou ainda mais as minhas dúvidas (...)

     “Foi, em casa do Sr. Bodin, que comecei meus estudos sérios de Espiritismo, usando o método experimental”  (“Obras Póstumas”  - A minha primeira iniciação no Espiritismo -  19ª edição da F.E.B., págs. 265 a 271).

<<< Voltar