ofplogo.gif (4994 bytes)   


DR. INÁCIO FERREIRA-VIDA E OBRA

                Autor: Fausto de Vito

 Foi o seguinte o “Prefácio”, escrito pelo médium, Dr. Carlos A Bacelli:

“O Dr. Inácio Ferreira, conforme sabemos, pela inteligência e pelo coração, foi uma das melhores pessoas que tivemos a felicidade de conhecer, na presente romagem terrestre, o que, dias atrás, em conversa informal, me levou a ouvir do senhor, amigo Fausto, as palavras que são utilizadas para definirem poucos, raríssimos, mesmo entre nós, os adeptos da Terceira Revelação: “- Dr. Inácio era um homem bom!”.

“O Dr. Inácio, que sempre contou com imensa legião de admiradores, agora, na condição de Espírito liberto, amplia os horizontes de sua benéfica influência, através do trabalho mediúnico que, verdade seja dita, vem recebendo a melhor acolhida pelas pessoas ávidas de maior sinceridade na vivência de nossos postulados. O Dr. Inácio, espirito, sem falsa modéstia, está no coração de milhares e milhares de irmãos e irmãs de Ideal !”

(a)    Carlos A Bacelli

“O Der. Inácio Ferreira”,  -  escreveu Fausto Vito – nasceu em Uberaba/MG, no dia 18de julho de 1904. Era filho do Sr. Jacyntho Ferreira (seu Cintico), antigo pecuarista e da Sra. Maria Lucas das Dores (Dona Marica). Já idoso, aos 68 anos de idade, contraiu casamento, em 19 de agosto de 1972, com a Sra. Maria Aparecida Valicenti Ferreira. Ambos desencarnaram, ele, em 27 de setembro de 1988, ela em 24 de julho de 2005.

Matriculado no Colégio Marista Diocesano, de Uberaba, ali recebeu formação escolar até o final do Curso Médio. Em seguida, no ano de 1924, após cursar os Preparatórios, ingressou na Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro, onde recebeu colação de grau em 28 de dezembro de 1929.

Após ser diplomado médico regressou à terra natal, onde passou a exercer a profissão, provisoriamente como clínico geral, com consultório no Centro da cidade. Posteriormente, exercendo o cargo de Diretor-Clínico  do Sanatório Espírita de Uberaba, especializou-se em Psiquiatria, mediante alentados estudos e observação aos casos de patologia psíquica, especialidade que desempenhou devotadamente, até o fim de sua vida.

Foi, na verdade, o Dr. Inácio Ferreira, um grande cidadão brasileiro e um excelente profissional da Medicina.

No próximo número, mostraremos o Dr. Inácio Ferreira como grande militante espírita em Uberaba”.

Do livro “Dr. Inácio Ferreira, vida e obra”, de Fausto de Vito, extraímos a seguinte passagem: “Antes de retomar o assunto inicial, compensa recordar, como mau exemplo das suspeitas conveniências da FEB – Federação Espírita Brasileira, o que sucedeu

com a notável médium brasileira Yvonne do Amaral Pereira, portanto, ainda novata e desconhecida, quando sofreu a sua grande primeira decepção na área editorial.

            Portando os originais do best-seller “Memórias de um Suicida”, ditado a ela por Camilo Castelo Branco, lá foi ela ao Departamento Editorial da FEB, toda esperançosa e confiante. Subiu a escadaria, onde, no patamar, deparou com o Presidente, Manuel Quintão, a conversar com certo senhor.

Assim relatou ela, em entrevista a um jornal espírita: “- Que deseja a senhorita?”, perguntou Manuel Quintão, dali mesmo, onde estava..

A jovem médium explicou, resumida e rapidamente, dizendo que pretendia a edição de seu livro, cujo título e autor mencionou.

“- É mediúnico?”, perguntou Manuel Quintão, e prosseguiu: “ Olhe, livros mediúnicos, nós só publicamos os do Chico Xavier” e assim liquidou de imediato as pretensões da moça.

-                 - Por que só dele? Posso saber? – perguntou Yvonne Pereira?

A resposta foi uma cacetada, revelando o mercantilismo febiano:

-        Ora, moça! Porque a gente conhece e porque vendem! Passe bem!”.

E agora, perguntamos nós: “ – Isto é maneira de uma pessoa, que se diz espírita, e exerce a função mais importante de uma instituição que se auto-intitula Casa Mater do Espiritismo no Brasil, tratar uma jovem estreante como médium psicógrafa? É este o exemplo que dave dar um espírita?!”