ofplogo.gif (4994 bytes)   


HIPNOTISMO E ESPIRITISMO

 

            O termo “hipnotismo” é derivado da palavra grega “hipno” (= sono) e “tismo” (= estudo de ou do).

            Hipnotismo é, pois a ação de um agente ativo sobre um passivo, levando a um estágio de sono artificial, ou sono nervoso, que é um estado de sonambulismo.

            É a alteração da consciência que leva à super sensibilidade, fazendo com que o agente passivo (hipnotizado) se submeta às determinações do agente ativo (hipnotizador).

            Assim os agentes ativo e passivo ficam ligados pela ação das correntes mentais que transitoriamente sustentam o fenômeno.

            Obtém-se a hipnose pela sugestão ou pela ação magnética, por meio de passes ou operações de envolvimento do “sujet” (agente passivo) pelas forças magnéticas do hipnotizador.

            O hipnotismo, conseguido pela magnetização, começou com Franz Anton Mesmer, descobridor do magnetismo animal, em fins do século XVIII.

            Sabe-se que as pessoas hipnotizadas só fazem aquilo que os limites de sua formação ética e moral permitem.

            Na sugestão pós-hipnótica, o hipnotizado desperta do transe, mas mantém a sugestão no inconsciente. (extraído do jornal “Mundo Espírita”, dezembro de 2008).

            O Prof. Rivail, desde moço foi um “estudioso pesquisador dos fenômenos curiosos relatados por Mesmer e foi o magnetismo que preparou o seu caminho para o Espiritismo, pois dos fenômenos do magnetismo, do sonambulismo e do êxtase (hipnose) para os fenômenos e manifestações espíritas não há mais do  que um passo .(André Moreil). Foi, como se sabe, através do Sr. Fortier, também magnetizador, que veio a tomar conhecimento dos fenômenos espíritas das mesas girantes e falantes, como o próprio Prof. Rivail nos informou sobre sua iniciação no Espiritismo. (Ver “Obras Póstumas”)

            Meu querido e saudoso pai, Severino Prestes Filho, quando ainda cadete da Escola de Guerra de Porto Alegre, também estudou e praticou o magnetismo, o sonambulismo, o hipnotismo, tendo mesmo freqüentado, quando Aspirante a Oficial e Tenente as Sociedades de Magnetismo e Hipnotismo de Porto Alegre e do Rio de Janeiro.

            Quando, em 1925, através de uma pessoa em estado sonambúlico, veio a saber quem fôra ele no séc. XIX e que tipo de missão veio completar no séc. XX, a princípio não aceitou essa revelação e chegou mesmo a questionar bastante o Espírito informante. Mas acabou aceitando e cumprindo muito bem sua missão!...