ofplogo.gif (4994 bytes)   


O HOMEM DE BEM SEGUNDO ALLAN KARDEC

      “O verdadeiro homem de bem é o que cumpre a lei de justiça, amor e caridade, na sua maior pureza...

       “Deposita fé em Deus, na sua bondade, na sua justiça e na sua sabedoria; sabe que nada acontece sem sua permissão, e se submete em todas as coisas à sua vontade.

      “Tem fé no futuro, razão pela qual coloca os bens espirituais acima dos bens temporais.!

      “Sabe que todas as vicissitudes da vida, todas as dores, todas as decepções, são provas ou expiações e as aceita sem murmurar.

       “O homem de bem, possuído do sentimento de caridade e de amor ao próximo, sem esperar recompensa, retribui o mal com o bem, toma a defesa do fraco contra o forte e sacrifica sempre seus interesses em prol da justiça.

      “Encontra satisfação no bem que espalha, nos benefícios que presta aos outros, nas pessoas felizes que consegue fazer, nas lágrimas que enxuga, nas consolações que prodigaliza aos aflitos...    

       “O homem de bem é bom, humano e benevolente para com todos, sem exceção de Raças nem de crenças, porque vê irmãos seus em todos os homens. Respeita nos outros todas as convicções sinceras e não lança anátema aos que não pensam como ele...

     “Bem compreendido, mas, sobretudo, bem sentido, o Espiritismo leva aos resultados acima expostos, que caracterizam o verdadeiro espírita como o verdadeiro cristão, pois que um  é o mesmo que o outro...” (Allan Kardec, em “O Evangelho segundo o Espiritismo”, cap. XVII, nº 3 e 4).