ofplogo.gif (4994 bytes)   


MACUMBA PEGA?

 

                Esta é a pergunta feita pelo confrade Luciano Salgado Ribeiro, colaborador do jornal espírita “O ESPÍRITA FLUMINENSE”, edição janeiro-fevereiro do corrente ano, pág. 8.

                Vejamos então alguns tópicos do que ele nos diz.

                “Muito se fala sobre a macumba realizada em terreiros e encruzilhadas, mas, para um melhor entendimento do assunto, entraremos no estudo das vibrações mentais.

                ‘Se desejamos assistir a um programa de TV ou de rádio, temos de sintonizar a emissora, então veremos aquilo que mais nos agrada; quando precisamos enviar uma carta, temos de ter o endereço da pessoa, senão será difícil encontrá-la.

                ‘Quanto à prática da macumba não é diferente, contudo, não é o endereço da residência que se procura, mas o ‘endereço vibracional’  -  canal mais importante que devemos conhecer.

                ‘Quando se tem a intenção de prejudicar alguém, a primeira coisa que as entidades infelizes vão procurar são as fraquezas do encarnado. Como muitas delas têm o conhecimento dos padrões mentais e da colaboração de nossa aura, saberão o tipo de entidade que irá ser designada para canalizar sua vontade na mente do encarnado, de forma a comprometer o seu comportamento. Por exemplo: se alguém é muito sensual, os espíritos afeiçoados a este padrão vibratório, acompanharão constantemente o encarnado, influenciando-o a ser ainda mais sensual a ponto de começar a mudar suas atitudes; se a pessoa é orgulhosa, outras tantas entidades que se lhes assemelham no sentimento do orgulho, influenciarão de forma idêntica, causando transtornos no trabalho, no lar, no estudo, se o encarnado for egoísta, as entidades valorizarão muito o seu egocentrismo é uma questão de sintonia, de afinidade. O alcoólatra e o fumante estarão sempre acompanhados de espíritos que em vida foram viciados do álcool e do fumo.

                ‘Como podemos observar, as influências existem... A grande dificuldade das pessoas é estar sempre com o padrão mental em alta freqüência, ou seja, vibrando muito acima das influências inferiores e nocivas que advêm de espíritos prazerosos em fazer o mal. E isto ocorre com tanta sutileza que quse não se percebe.

‘Pergunta-se então: - macumba pega? E a resposta é: - Sim, pega, desde que sintonizemos as vibrações das entidades inferiores.

“- Podemos evitar? Sim, podemos evitar. Como? Com a prática da prece e a reforma íntima, essas entidades certamente desistirão, por falta de afinidade vibratória. A influência negativa pode ser evitada.

‘Infelizmente, porém, na maioria das vezes, deixamos nosso pensamento livre para as influências inferiores. Logo, o melhor remédio é aquele que Jesus nos ensinou: “ORAI E VIGIAI”.