ofplogo.gif (4994 bytes)   


“DUAS CARAS” E KARDEC

 

                O Sr. Marcelo Teixeira escreveu uma carta de protesto que foi publicada na Seção “Revista da TV” do jornal “O Globo” do Rio de Janeiro, edição de 20 de abril, nos seguintes termos: “No capítulo da novela ‘DUAS CARAS’ de 10/04, a pseudo-vidente e trambiqueira Amora (personagem vivida por Fafy Siqueira) proferiu a seguinte frase, logo após uma de suas visões fajutas não ter resultado em recompensa financeira: “- Ah! Meu pai, Allan Kardec !” Soou mal. O fato de o espiritismo estudar e explicar a comunicação entre vivos e mortos não significa que todo e qualquer vidente ou médium seja espírita. Há muitos que têm tais dons e os exploram comercialmente, o que é lamentável. E há os que nem possuem faculdades mediúnicas, mas se valem da boa-fé alheia para ludibriar e ganhar dinheiro. Nenhum dos dois grupos é espírita e jamais teria o aval de Allan Kardec e do movimento espírita brasileiro”.

                Por sua vez, o Sr. Humberto Portugal (Diretor de Relações Externas do Conselho Espírita de Unificação) declarou em sua carta, dirigida ao mesmo destinatário: “ – Somos porta-vozes do Movimento Espírita do Rio de Janeiro e trazemos nosso desagrado pela cena levada ao ar em “DUAS CARAS” pela TV Globo, quando sentimos manchada a figura de nosso insigne Codificador, professor Allan Kardec. Refletimos o pensamento de numeroso contingente de adeptos que acompanham a obra de Kardec e que se manifestaram em desacordo com  as imagens e as possíveis conseqüências”.

                Não assistimos às cenas dessa novela levada ao ar pela TV Globo, a que se referem os confrades acima citados,  mas, depois de tomar conhecimento dos termos de suas cartas, não podemos nos omitir. Por isso nos solidarizamos com eles, que tiveram plena razão de reclamar. Fica também aqui o nosso

 VEEMENTE  PROTESTO.